SindSaude Quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Notícias

Imprimir
  • 13/09/2016

    Richa sela prazo de validade na nossa Previdência

    Richa sela prazo de validade na nossa Previdência
    TC confirma a tese dos sindicatos do Fes sobre o futuro da ParanaPrevidência

    2037. Esse será o último ano que a ParanaPrevidência terá fôlego para bancar os benefícios do Estado de acordo com a 3ª Inspetoria de Controle Externo do Tribunal de Contas - TC. A afirmação não é nenhuma novidade para o Fórum das Entidades Sindicais - Fes - que tem alertado para esse problema desde o fatídico dia 29 de abril do ano passado.

    De acordo com o TC, esse tempo curto de vida estaria na inadimplência do governo, mais especificamente no calote da parte patronal referente à contribuição dos aposentados, cobrada a partir de 2015. Embora a lei diga que o governo deve contribuir em igual valor, o governador baixou decreto isentando o Estado desse pagamento.

    O resultado dessa manobra pode gerar um déficit atuarial de 3,6 bilhões no Sistema. O SindSaúde entrou em 2015 com uma ação judicial pedindo a ilegalidade do decreto que livra o governo de fazer esses depósitos. Leia mais informações sobre a análise do TC publicada na Gazeta do Povo desta terça-feira, 13 de setembro, AQUI.

    Mais déficit I- Mas não é só a não contribuição da parte patronal da contribuição dos aposentados, que coloca o nosso futuro em risco. São várias as maneiras que o governo Beto Richa encontrou para saquear nossa poupança. A Lei 18.469/2015, por exemplo, que migra mais de 30 mil servidores do Fundo Financeiro - FF - custeado pelo Estado, para o Fundo Previdenciário - FP - formado através das contribuições mensais dos servidores, já fez o governo desfalcar outros R$ 1,7 bilhões do FP. Aliás, essa é, disparada, a maior causa do descontrole nas contas. E essa manobra também fere a lei.

    Mais Déficit II - Tem mais o calote do governo na taxa de administração, que já gira em torno de R$ 89 milhões, e a enrolação para pagar o empréstimo de R$ 640 milhões feito junto à ParanaPrevidência, que o governo ficou de pagar em 60 suaves prestações.

    Voto divergente - Todos esses vazamentos por onde escoam a grana dos servidores têm sido alertado pelos representantes dos sindicatos nos Conselhos da ParanaPrevidência. Embora em número muito reduzido diante dos integrantes governistas, nossos representantes têm sistematicamente aplicado voto divergente, desaprovando as contas.

    No entanto, a falta de democracia nas instâncias faz com que sempre as contas sejam aprovadas, mesmo com tantas inconformidades. Na última reunião, nossos conselheiros protocolaram uma série de pedidos de explicações a fim de desvendar o real prejuízo que este governo tem causado à ParanaPrevidência.

Esta matéria pode ser reproduzida desde que citada a fonte.

Av. Marechal Deodoro, 314, 8º andar, conjunto 801 - Edifício Tibagi, Curitiba, PR CEP: 80010-010 Telefone: (41) 3322-0921 E-mail: contato@sindsaudepr.org.br

DOHMS